Arquivo da categoria: Vida de mãe

Lá vai minha filha – por Hilda Lucas

Recebi de uma amiga esse texto lindo e que nos remete aos sentimentos da maternidade e resolvi compartilhar…. nada melhor para começar esse dia lindo!

Lá vai minha filha quase voando no seu vestido etéreo.

La vai minha filha do olho grande, da pele morena e do cheiro de feijão. A menina que estreou a mãe em mim. A menina que chegou trazendo todo um universo de novidades: emoções, medos, encantamentos, aprendizados. Crescemos juntas: eu aprendendo a ser mãe e ela aprendendo a ser ela mesma. Descobrimos duas palavras mágicas: ela me chamou mãe e eu a chamei filha. Palavras novas e tão viscerais que pacientes esperavam para se cumprir.

Éramos duas sendo uma em muitos sentidos. Carne da minha carne, fruto do meu amor, sonho dos meus sonhos. Ela me expandia e eu a protegia. Ela me dava a mão e eu todos os sumos. Ela me dava a eternidade e eu lhe dava asas. Ela me alargava o coração e eu lhe ensinava a caminhar sozinha. Ela me cobria de beijos e eu a cobria de bênçãos. Ela me pedia colo e eu lhe pedia sorrisos. Ela me traduzia e eu a decifrava. Ela me ensinava e eu lhe descortinava o mundo. Ela me apontava o novo e eu lhe ensinava lições aprendidas no passado. Ela me falava de fadas e princesas e eu lhe falava de avós e gentes. Ela me emprestava seus olhos encantados e eu rezava por um mundo melhor. Ela me tirava o sono e eu cantava para ela dormir. Ela me alegrava a vida e eu vivia para ela.

Quando um filho nasce começamos a nos despedir dele no mesmo instante. Nosso ele só é quando no ventre. Depois somos seus abrigos, seus condutores, seus provedores sem nunca esquecer que eles começam a ir embora no dia que nascem. No começo o tempo parece parar. A plenitude da maternidade e a dependência dos pequenos criam uma ilusão de que será assim para sempre. Mas não, eles crescem inexoravelmente em direção à independência. Cumpre-se o ciclo da vida e é melhor que seja assim, caso contrário, significa que algo de muito triste, inverso ou perverso aconteceu.

Lá vai minha filha. Assim seja.

Olho seus olhos enormes e profundos e vejo os mesmos olhos que ainda na sala de parto me olharam intrigados, solenes, como que me reconhecendo, me convocando. Eu disse sim à minha filha, imediatamente, a segui desde aquele instante, entregue, eleita. O amor que eu senti foi tão avassalador e instantâneo que eu cheguei a ter medo. Sim, na hora que nasce o primeiro filho, a gente compreende a fragilidade da vida, a fugacidade das coisas e a passa a ter medo de morrer. O fato dela precisar de mim me tornava única, imprescindível. Eu não podia falhar, eu não podia morrer, afinal foi ela quem me escolheu. A partir dali, tudo mudou, meu espaço, meu papel, minha relação com o mundo adquiriu outra dimensão: eu era sua mãe!

Crescemos juntas. Somos amigas. Mãe e filha. Ao longo desses anos rimos, choramos, brigamos, resolvemos impasses, estreitamos laços, vencemos batalhas, enfrentamos noites escuras. Contamos uma com a outra, sempre. Às vezes era eu quem a socorria outras vezes era ela quem me amparava. Não foram poucas as vezes em que os papéis se inverteram e ela foi minha mãe. Às vezes me pergunto se eu dei a ela tanto quanto recebi. Sinceramente, acho que não. Desde o momento zero ela transformou minha vida e, num movimento contínuo, faz de mim uma pessoa melhor.

Lá vai minha filha. Apaixonada e confiante. Ensaiando vôos, escolhendo caminhos, encerrando ciclos.

Eu feliz, penso: cumpra-se!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Vida de mãe

Rotinas de Beleza – Demaquilante

Oi!

Hoje vamos falar de demaquilante, oba!! Existem muitos e muitos tipos de acordo com o tipo de pele, alguns específicos para determinadas regiões do rosto, vou deixar bem claro que não sou uma expert, mas acho que o a principal dica para retirar a maquiagem é disciplina e paciência! Se você tem uma rotina agitada e preguiça de tirar a maquiagem não use versões à prova d’água, que são resistentes e trabalhosas para serem removidas. Para a região dos olhos, prefira os demaquilantes bifásicos (aqueles mega oleososss), que são mais potentes para remover rímel, lápis e delineador e sombras. Dizem que é muito bom lavar o rosto com sabonete neutro ou especial para o seu tipo de pele, masss vou confessar que ainda não faço isso e pretendo adquirir esse hábito.

Confere o que eu recomendo muito:

Image#Take the Day off, da Clinique: Ele dá a impressão de que é um pouquinho oleoso, mas é só impressão, pois é oil free. Alguns segundos depois ele te deixa com a pele sequinha, mas eu gosto de lavar o rosto com água para retirar todos os resíduos do produto (não suporte a sensação de oleosidade). Este demaquilante não é bifásico e perfeito para  maquiagens que não são à prova d’água.

#Demaquilante em Lenços Nivea: Retira a maquiagem, inclusive à prova d’agua, mas  deixa um pouco de resíduos. Deixa a pele macia e hidratada. Não é livre de óleo, mas é perfeito para carregar na bolsa, carro e viagens.

#Demaquilante bifásico Panvel: Amo e é baratinho!!,  remove de forma suave e eficaz a maquiagem dos olhos, inclusive à prova d’água. É indicado para todos os tipos de pele, não deixando resíduos (mas a pele fica oleosa e eu dou mais uma lavadinha depois de utilizar).

#Shampoo Johnson para bebês: Sim, este é super conhecido e funciona perfeitamente também, além de ser super baratinho. Ele é ótimo para se deixar no chuveiro e na hora do banho aproveite e já retire a maquiagem, acho muito bom e quando você passa já sente a pele muito limpa. Sempre dou uma enfatizada nos cílios para remover bem o rímel e o mais bacana é que você não sai do banho parecendo um urso panda.

#Demaquilante Vichy Purete Thermale:  mais indicado para os olhos, esse demaquilante suaviza a pele sensível removendo a maquiagem dos olhos delicadamente. Seu uso não resseca a pele, e sua ação acalma de descongestiona as pálpebras. Adequado ao PH lacrimal, ele tem eficácia antiirritante comprovada em usuários de lente de contato (meu caso por isso amo!!).

Espero que gostem, bjs!!

Deixe um comentário

Arquivado em Gravidez, Rotinas de Beleza, Vida de mãe

Amamentação – Aplicativos para celular

Olha eu madrugando aqui novamente, mas é por uma boa causa! Quando eu estava fazendo uma busca de aplicativos para a gestação descobri outros apps bem legais. Vou confessar que ainda não testei todos, mas resolvi começar a compartilhar com vocês assim podemos trocar figurinhas. Olha esse! O nome do app é Aleitamento :))

Image

Os papais e mamães, principalmente os de primeira viagem, têm muitas dúvidas em relação ao seu recém-nascido, seu crescimento, desenvolvimento e sobre a melhor forma de nutri-lo com segurança.
Afinal, o que fazer quando o bebê chorar? Devo dar mamadeira? Chupeta? Somente leite do peito? E se não conseguir? Meu leite é “fraco”, o que faço? Como amamentar sem sentir dor? Como devo segurar o bebê?

Pensando nisso, desenvolveram esse aplicativo para ajudar você, mãe ou pai, repleto de questionamentos, e fazer com que esse momento às vezes angustiante seja o mais gratificante de sua vida. Com ele você terá um guia seguro sobre AMAMENTAÇÃO, apresentando:

– DICAS PRECISAS para cada mês do seu bebê, desde a gestação até o seu segundo ano de vida;
– RESPOSTAS para suas dúvidas mais comuns;
– CRONÔMETRO para você controlar suas amamentações em cada seio, ou nos dois simultaneamente (em caso de gêmeos), com a possibilidade da gravação dos dados para se ter um histórico acurado;
– DIÁRIO, onde você pode fazer anotações sobre seu bebê, mantendo um registro dos momentos mais especiais que podem ser enviados por e-mail para o seu pediatra e/ou amigos;
– MAPA para localizar os estabelecimentos essenciais mais perto de você que deem suporte ao aleitamento materno, como os Bancos de Leite Humanos;
– CALENDÁRIO DE VACINAS atualizado, para que você tenha um controle fácil e rápido, fazendo com que as imunizações do seu filho não atrasem;
– NOTÍCIAS sobre amamentação vindas do site “aleitamento.com”, o maior portal do Brasil sobre o tema;
– e muitas outras informações.

Com a supervisão de um pediatra especialista em aleitamento, o aplicativo está aqui para estreitar e apoiar o princípio mais elementar da relação pai/mãe/filho: a amamentação.

Adorei!! Espero que funcione.. rsss, vou testar! Bjs!!

2 Comentários

Arquivado em Alimentação & Saúde, Gravidez, Vida de mãe

Sangramento pós-parto

Olá Meninas,

Acho que já falei em algum post que temos uma amiga grávida  e por isso tenho lembrado e pensado na minha gravidez. Lembrei de um episódio difícil e resolvi compartilhar com vocês. Eu sempre soube que existia o sangramento pós-parto, na época uma amiga já tinha me alertado que ela  ficou “menstruada” durante uns 30 dias seguidos após o parto. O fato é que no meu caso não foi bem assim.

Vamos lá… a Valentina nasceu na terça e na quinta recebi alta. Na maternidade eu estava  “amamentando”  e a Valentina deveria ter uma boa reserva porque não estava faminta nas primeiras 48hs, mas quando cheguei em casa (na quinta)  tudo mudou e ela começou a mamar continuamente. Na sexta tive sérios problemas (feridas no peito por amamentar de forma “errada”) com a amamentação e a Valentina tomou sua primeira mamadeira. Sábado eu consegui amamentar e complementar com mamadeira e domingo consegui começar a amamentar para valer (tipo.. só peito). Ok, na segunda de noite comecei a sentir muita cólica e minha médica já tinha me alertado que a amamentação ajuda o útero a contrair e começar a retornar para seu tamanho “normal”. Eu estava sentada amamentando e sentindo essa cólica e de repente senti como se estivesse fazendo xixi na calça. Pedi para o meu marido pegar a Valentina e fui no banheiro rapidinho porque pensei que era alguma coisa com a bexiga, mas não, era muito sangue saindo de uma vez só ( na cor vermelho vivo), limpei tudo, troquei o absorvente e voltei a amamentar e ai passaram uns 10 minutos e senti novamente uma “enxurrada” chamei meu marido correndo e ele pegou a Valentina e corri para o banheiro e ele para internet. Na hora eu pensei que iria morrer, é sério mesmo… parecia filme de terror aqui em casa, os absorventes pós-parto não deram conta do recado. Foi muito sangue e coágulos enormes saindo rapidamente. Eu estava tomada por aqueles malditos hormônios do pós-parto, liguei para minha médica e ela disse que era “normal” e eu acatei, mas vou confessar que hoje sinto raiva porque sei que não foi normal.

Fiquei muito fraca e depois da questão “amamentação” estar quase superada fisicamente e emocionalmente (tive problemas para amamentar durante dois dias que pareceram eternos porque sofri para caramba!!!) veio todo esse sangramento que sugaram minha energias e mais uma vez fiquei mega frágil e abalada (repito: pensei que iria morrer!!).

Acho que se isso acontecer após a próxima gravidez vou correndo para a emergência da maternidade e ai quero ver se ninguém vai fazer nada vendo aquele sangue todo que não foi contido por nenhum mega absorvente.

Depois de uma madrugada apreensiva e muita cólica o episódio se repetiu mais uma vez de forma moderada e depois disso eu usei carefree durante mais alguns dias e acabou o sangramento pós- parto (tbm né, foi muito sangue de uma vez só que não sobrou mais nada). Confiram o texto do baby center e alguns comentários:

O que é o sangramento pós-parto?

Toda mulher tem sangramento vaginal depois de ter um bebê. É o corpo eliminando o material que revestia o útero durante a gestação. É como uma menstruação, com um fluxo mais intenso, às vezes irregular. Essa secreção também recebe o nome de lóquios. À medida que o útero vai se contraindo e voltando ao tamanho normal, a intensidade do sangramento diminui, e a cor também muda: de vermelho vivo para rosa e depois para amarronzado ou amarelado.

Quanto tempo esse sangramento dura?

Para algumas mulheres, dura só duas ou três semanas; para outras, até seis. O sangramento vermelho vivo deve ir embora depois de no máximo duas semanas. Se não for, é sinal de que talvez você esteja abusando das atividades. Reduza seu ritmo. Caso nos dias seguintes o fluxo continue intenso e bem vermelho, fale com o médico. (acho que posso ter abusado das atividades, tenho mania de arrumação e pensando bem a Valentina nasceu na terça (cesárea)  e no sábado eu já estava varrendo a casa).

Há algo que eu tenha de fazer?

Não. A única providência é ter em casa, antes de ir para a maternidade, uns dois ou três pacotes de bons absorventes noturnos. (Leia mais sobre de quantos absorventes você vai precisar depois do parto.) Você pode levar um pacote para a maternidade, para o caso de não gostar do tipo fornecido pelo hospital. Absorventes internos não podem ser usados nas primeiras seis semanas do pós-parto, porque podem levar bactérias para o útero e causar infecções.

Quando devo me preocupar? Procure o médico se o sangramento:

• exigir a troca de mais de um absorvente por hora (isso aconteceu comigo)

• continuar muito intenso e vermelho depois da segunda semana

• de repente ficar vermelho e intenso de novo depois da segunda semana, e não melhorar com o repouso

• tiver coágulos grandes (maiores que uma bola de pingue-pongue) (sim! Isso tbm aconteceu comigo, viram.. dá próxima vez saio correndo para a maternidade sem pensar duas vezes!)

• tiver um cheiro ruim, ou se você tiver febre e/ou calafrios. (tive calafrios e me senti mega fraca)

É raro, mas algumas mulheres sofrem da chamada hemorragia pós-parto secundária. Se você tiver uma hemorragia muito intensa depois que o fluxo já tinha diminuído (precisando de mais de um absorvente por hora), procure imediatamente o médico, mesmo que não haja coágulos. Pode ser um sinal de que um pedaço da placenta acabou ficando dentro do útero, ou de que o útero não está voltando ao tamanho normal como deveria. Também procure ajuda médica imediatamente se estiver sangrando e sentir que vai desmaiar.

Para mais informações: clique aqui

* Desculpas os “detalhes”, mas estamos aqui para isso!! Bjs!!

6 Comentários

Arquivado em Gravidez, Vida de mãe

Férias de julho: brincadeiras para fazer com as crianças dentro de casa

Gente, gente! Que frio é esse?

Tá difícil de circular por ai, vamos combinar que nossa cidade não tem estrutura nenhuma para os dias de frio, só nos resta ficar em casa ou ir ao shopping com os pequenos. Ontem levei a Valentina no #KidsPark  do #iguatemiflorianopolis, mas estava lotado e foi estressante ter que ficar controlando as crianças grandes misturadas com as pequenas. Não deu para relaxar, tive que ficar sempre pertinho dela para evitar um “atropelamento”, Ok! ela adorouuu!! Nós já tínhamos estado lá durante a semana e adoramos! Agora no fim de semana fica evidente a carência de uma área baby. Hoje nós iríamos na Galinha Pintadinha, mas a Valentina acabou vomitando na parte da manhã, depois fomos almoçar no shopping e o xixi passou e ai acabamos vindo para casa dar banho, depois pediu mamadeira e dormiu e agora quem é que me tira de casa com esse tempinho? Nós estamos aproveitando para trabalhar e colocar as coisas em dia e vocês?

Image

Vou passar mais algumas sugestões de brincadeiras indoor ok? Confiram:

Dança das cadeiras

Esta brincadeira é antiga, mas desenvolve a coordenação, o ritmo, a concentração e a agilidade dos pequenos. As crianças correm ao redor das cadeiras e, quando a música termina, tentam sentar. Como sempre falta um lugar, um participante cai fora a cada rodada. Mas você não precisa desmontar a sala ou levar a mobília para o playground. Recorte círculos ou quadrados de cartolina colorida e fixe as figuras no chão com fita crepe.

Eu sou assim

Deite seu filho sobre uma grande folha de papel e risque o contorno do corpo dele. Depois peça que complete a figura – dos 3 aos 6 anos, é um ótimo exercício de reconhecimento do esquema corporal. Dica: deixe um espelho por perto para consultas eventuais. Se a brincadeira for em grupo, misture os desenhos no final e desafie as crianças a identificar quem é quem.

Mosaico de papel

Quem não gosta de picar papel? Com uma tesoura ou as mãos, reduza revistas velhas a quadradinhos de tamanho regular – crianças mais velhas podem se encarregar da tarefa. Ponha o material em potes, forneça folhas de papel e cola branca (fica mais fácil usar com pincel) e deixe que soltem a imaginação formando e preenchendo figuras.

Massinha para os miúdos

Modelar exercita a musculatura das mãos e a coordenação motora fina. Quer uma receita muito fácil e que não representa risco para os pequenos, que põem tudo na boca? Tome nota: numa tigela, junte 1 xícara de sal refinado com a mesma medida de farinha de trigo. Acrescente água aos poucos e vá amassando até que a mistura fique homogênea, sem grudar nas mãos – você pode tingi-la com suco artificial em pó. Dura três dias, se guardada na geladeira em saco plástico.

Experiências na cozinha

Para quem tem filhos pequenos, uma boa ideia é escolher uma receita gostosa e fácil de preparar. Ignore a bagunça, deixe seu filho fazer descobertas e aproveite a diversão do momento para cozinhar a muitas mãos. Dica: prepare bolinho de chuva. Peça para as crianças ajudarem no preparo da massa e você cuida da fritura – sem deixar que se aproximem do fogão, é claro! Você também pode preparar um delicioso chocolate quente. Deu água na boca?

Hora da leitura

Se ler é bom e aprender a ler com prazer é fundamental, encontrar maneiras de se aconchegar para esses momentos é uma delícia! Vocês fazem a escolha: na rede, num monte de almofadas no chão, na cama embaixo do edredom…

Espero que tenham gostado, visite os links abaixo para mais ideias de brincadeira:

1. Dicas da Revista Abril

2. Dicas IG

3.Dicas UOL

Bj!!

1 comentário

Arquivado em Gravidez, Vida de mãe

Criança que dorme pouco engorda

Image“Um estudo canadense mostrou que pouco sono pode aumentar o peso da garotada. Fique atenta, então, às horas de repouso do seu pequeno. Assim como o adulto, a criança que repousa menos do que deveria — 11 horas, no mínimo — acaba ganhando alguns quilos. Foi o que mostrou um estudo da Universidade de Montreal, no Canadá, feito com mais de mil meninos e meninas entre 2 e 6 anos de idade. Ao final da pesquisa, 26% das crianças que dormiram menos de dez horas ficaram acima do peso, enquanto só 10% dos que passaram mais do que isso debaixo dos lençóis viram o ponteiro da balança subir. “Ainda não há uma explicação, mas os dados parecem consistentes”, comenta Fábio Ancona Lopez, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria. Uma hipótese recai sobre os hormônios que estimulam o apetite — eles seriam secretados em maior quantidade na meninada que não dá muita bola para o descanso. “Criança precisa de rotina”, ensina Ancona Lopez. Por isso, estabeleça horários para ela brincar, comer e ir para a cama. E, à noite, nada de agitação. Do contrário, fica difícil relaxar.” fonte

1 comentário

Arquivado em Alimentação & Saúde, Gravidez, Vida de mãe

Bolo de Chocolate da Vovó

Gente olha que coisa mais fofa e fácil de fazer:

ImageSabe aqueles dias que você está na correria e tem um café com as amigas ou festinha na escola, então… é só fazer duas receitas de bolo (cenoura, leite, chocolate, milho, etc…) colocar uma cobertura linda e uns confetes e pronto!

Vou compartilhar com vocês minha receita preferida e que eu amo com toda a minha “gula” porque ela é uma delicia, fácil de fazer, baratinha e mega especial já que minha mãe fazia esse bolo como ninguém!

Image

Para cobertura eu normalmente uso brigadeiro, deixo no ponto mais mole e uso mais manteiga que de costume. Hummm……
No aniver da minha sobrinha eu e a minha irmã fizemos duas receitas (dois bolos) em forma redonda e colocamos o brigadeiro no meio dos dois bolos e cobrimos ele todo de brigadeiro (pensa em uma coisa boa!!). * São 3 ovos ok? ficou apagadinho na receita.

Espero que gostem, bjs!!

3 Comentários

Arquivado em Alimentação & Saúde, Gravidez, Vida de mãe